Trâmite de Processo
INSTITUCIONAL » APRESENTAÇÃO

* Professor Eduardo De Lamonica Freire

Ao assumir o exercício da Reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso, em fevereiro de 1982, o Reitor Benedito Pedro Dorileo criou, em 04 de março de 1982, um Grupo-Tarefa, coordenado pelo professor Eduardo De Lamonica Freire, chefe do Departamento de Medicina (hoje, Faculdade de Ciências Médicas), para diagnosticar os problemas e apresentar as soluções para melhorar a qualidade dos estágios na área de saúde.
O Curso de Medicina, administrado pelo Departamento de Medicina e lotado no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, juntamente com os Departamentos de Enfermagem, Nutrição, Biologia e Educação Física, havia sido implantado em 1980, após autorização formal da SESU/ MEC, e oferecia 40 vagas anuais (como ocorre até hoje), à época com oferta de 20 vagas/semestre.
O Grupo-Tarefa apresentou no prazo de 90 dias, após encaminhamentos definidos junto ao Governo do Estado, por meio da Secretaria de Saúde, a proposta de obtenção do Hospital Júlio Müller, à época em reforma e ampliação, sob o amparo formal de Cessão de Uso, para transformá-lo em Hospital Universitário.
Há que se destacar, neste histórico, o importante apoio emprestado pelo Secretário Hugo Campos para que tal fato ocorresse. O Dr. Hugo Campos, depois importante Assessor da 1ª Diretoria do Hospital Universitário, é autor, entre outras ações do logotipo do HUJM.
Até então, os estágios hospitalares realizados pelos Cursos de Enfermagem e de Nutrição, que já estavam formando as suas primeiras turmas, e pelo Curso de Medicina, que iniciava o seu ciclo profissionalizante, eram realizados em 2 hospitais – a Santa Casa e o Hospital Geral de Cuiabá – ambos conveniados. Estes hospitais apresentavam dificuldades administrativas no que se referia aos interesses acadêmicos: não disponibilizavam acesso aos seus ambulatórios (utilizados por médicos não docentes); não dispunham de prontuários e registros de internação organizados para sustentar um apoio de boa qualidade ao ensino. Para agravar, o corpo clínico híbrido, constituído de docentes e não docentes, dificultava o acesso dos estudantes aos leitos de internação e ao acompanhamento de alguns procedimentos médicos.
A proposta do Grupo-Tarefa foi imediatamente aprovada pelo Reitor que negociou com o Governador Frederico Campos, a Cessão de Uso do Hospital Júlio Müller.
Para consolidar formalmente este acordo, o Governador assinou o Decreto n o 2045 de 14/09/82 e, nos termos deste ato, ele e o Reitor Dorileo assinaram, no dia 28/12/82, o contrato de Cessão de Uso pelo prazo de 20 anos.
O Hospital Universitário Júlio Müller foi reconstruído e ampliado pelo Governo do Estado, por meio de financiamento da extinta Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (SUDECO).
Os equipamentos de toda área hospitalar foram adquiridos com recursos próprios da UFMT, bem como a instituição financiou as adaptações físicas necessárias (Anatomia Patológica,Anexo Didático,Ambulatório de Ortopedia,hoje AmbulatórioII, Ambulatório I, entre outras).
Para fazer o HUJM funcionar, a UFMT teve que atravessar uma grande barreira: conseguir autorização do Presidente da República para a contratação, em condições de excepcionalidade, de docentes e funcionários técnicos e administrativos.
Esta luta, sob a liderança do Reitor Dorileo, desenvolvida e vencida, graças ao total apoio da Sociedade Matogrossense e da classe política, veio a termo com a aprovação da Exposição de Motivos n o 171/83 de 21/06/83, encaminhada pelo Ministro Delfim Neto, do Planejamento, e aprovada, na mesma data, pelo Presidente João Figueiredo, que “reconhecia o caráter de excepcionalidade para contratação de 340 servidores na implantação do Hospital Júlio Müller, a ser administrado pela Universidade Federal de Mato Grosso”.
Todas as vagas conquistadas, de servente a professor universitário, foram disponibilizadas e preenchidas por Concurso Público de Provas e Títulos, mesmo sob o regime CLT, vigente na época na UFMT. Este Concurso contou com mais de 12 mil candidatos inscritos e foi totalmente administrado pela UFMT, contando com importante apoio da COPEVE (hoje, CEV ) e da Gráfica da UFMT, entre outros.
Na inauguração, ocorrida em 31 de julho de 1984, o Hospital Universitário Júlio Müller iniciou suas atividades disponibilizando cerca de 80 leitos, distribuídos pelas 4 áreas básicas: Clínica Médica (e especialidades), Clínica Cirúrgica (e especialidades), Ginecologia e Obstetrícia e Pediatria. No início, o HUJM já contava com o apoio de atendimento Ambulatorial, Pronto Atendimento, Serviço de Imagem (Radiologia e Ultrassom), Laboratório Clínico, UTI Neonatal. Em 2002 passou a oferecer, também, atendimento de UTI de adultos com 10 leitos disponíveis.
O Hospital Universitário Júlio Müller foi, formalmente, criado no âmbito da Universidade Federal de Mato Grosso, pelo Conselho Diretor da Fundação, por meio da Resolução n° 94/CD/83 de 21/11/1983 que estabeleceu, ainda no seu Artigo 1º, o da criação, que ele seria um órgão ligado ao extinto Centro de Ciências Biológicas e da Saúde; o Artigo 2º definiu a sua estrutura básica; o Artigo 3º aprovou o Quadro de Pessoal Técnico- Administrativo e o Quadro de Funções Gratificadas. Os Parágrafos 1º e 2º deste Artigo definiam o tipo de profissional que deveria exercer as respectivas FG criadas, com base na especialização da atividade. Já o Artigo 4º aprovou o Redimensionamento do Quadro do Pessoal Docente para os Departamentos ( hoje Faculdades) de Medicina, Enfermagem e Nutrição do CCBS e para o Departamento de Serviço Social do CCS, objetivando lotar no HUJM professores destes Departamentos para o desenvolvimento estratégico destes cursos, de acordo com a concepção docente-assistencial.
A 1ª Diretoria designada para administrar o HUJM era composta pelos Professores Fernando de Arruda (Diretor Superintendente e pertencente ao Departamento de Clínica Cirúrgica); José Eduardo Aguilar Siqueira do Nascimento (Diretor Clínico e pertencente ao Departamento de Clínica Cirúrgica); Nazir Okde (Diretor Administrativo e Financeiro e pertencente ao Departamento de Administração) e José Mário Fontes Amidem (Diretor de Informática e Instrumentação e pertencente ao Departamento de Física).
Os primeiros chefes de Departamento (à época, Serviços) foram: Professores Cervantes Caporossi (Clínica Cirúrgica), Arthur Augusto Nogueira Borges (Clínica Médica), Manoel Bomdespacho do Nascimento (Pediatria) e Sebastião Freitas de Medeiros (Ginecologia e Obstetrícia). A Secção (hoje, Serviço) de Anestesiologia, ligada ao Departamento de Clìnica Cirúrgica, teve como primeiro Chefe o Professor Jeová Luis Epaminondas. Para coordenar as atividades acadêmicas dos programas de Internato I e II, elegeu-se o Professor Paulo Roberto Dutra Leão como primeiro Presidente da Comissão de Internato.
Com a extinção dos Centros Universitários e desmembramento destes em Faculdades, a Resolução n° 28/CD/92 de 12/02/92 situou o HUJM como Òrgão Suplementar, ligado à Vice-Reitoria.
Em 28 de maio de 1985, por meio da Resolução n° 33/CD/85, o HUJM obteve uma de suas maiores conquistas: a da autonomia administrativa e financeira. Esta Resolução, pioneira como instrumento facilitador para os Hospitais Universitários Federais, determinou que, por delegação do Reitor, o Diretor Superintendente assumia, também, a função de Ordenador de Despesas.
Há que se registrar que o Hospital Universitário Júlio Müller é, até hoje, o único hospital essencialmente público de Cuiabá e que atende, plenamente, somente pacientes referenciados pelo SUS. Também foi o primeiro hospital, ao longo de oito anos, a tratar, na região, tanto em regime ambulatorial, quanto em regime de internação, pacientes portadores do vírus HIV, mesmo nos anos em que a doença era vista pela sociedade mundial como um flagelo e, por isso, os “tratava” com segregação. Destaque-se que essa atuação, de relevância social incomensurável, só ocorreu graças a uma brilhante equipe multiprofissional de jovens médicos, enfermeiros e pessoal de apoio, que compunham o corpo clínico do HUJM e que destemidamente assumiu, de forma exemplar, também a abordagem humanística deste problema.
Atualmente, em franca expansão de leitos e de serviços, oferecidos em articulação com o SUS, o HUJM serve de campo de estágio de alta qualidade para os estudantes de Medicina, Nutrição, Enfermagem, Fisioterapia e Serviço Social, entre outros.
Desde 1992, com a aprovação da Comissão Nacional de Residência Médica, o HUJM serve de apoio fundamental aos Programas de Residência Médica em Clínica Médica , Cirurgia Geral, Obstetrícia e Ginecologia, Anestesiologia e Pediatria, todos credenciados, até hoje, sem restrições. Em 2001 implantou-se o Programa de Residência Médica em Infectologia, com aval da CNRM. Este ano estão sendo implantados os Programas de Medicina da Família e de Neonatologia (3° ano opcional em Pediatria). Espera-se, para 2007, a implantação do PRM em Urologia. Todos esses PRMs são desenvolvidos sob a responsabilidade da Faculdade de Ciências Médicas.
No campo da pesquisa científica, sob o controle da sua Comissão de Ética em Pesquisa, o HUJM tornou-se um excelente campo operacional para a produção de teses em Cursos de Especialização e de Mestrado oferecidos pela UFMT e de trabalhos científicos que são publicados em Revistas nacionais e estrangeiras, indexadas, e, também, apresentados em Congressos e Jornadas nacionais e internacionais.
* O Professor Eduardo De Lamonica Freire foi o 1º Diretor da Faculdade de Ciências Médicas(1979/1983), Sub-Reitor Acadêmico (1983/1984), Reitor (1984/1988), Chefe do Departamento de Clínica Cirúrgica(1990/1992),Diretor Superintendente do HUJM(1992/1994). È Professor Adjunto IV do Departamento de Clínica Cirúrgica.